Mascote, Avatar ou Persona?

Antes mesmo de decidir investir num Mascote, Avatar ou Persona é fundamental refletir se a sua empresa realmente precisa de um porta-voz para agregar valor à marca.


Não há como negar que a personificação da marca é uma maneira eficaz para estreitar o relacionamento com os clientes e, consequentemente, aumentar as vendas.


Sendo assim, se você quer descobrir se criar um mascote é o mais ideal para o seu negócio, é preciso ter em mente que ele vai representar a sua marca. Portanto, o personagem precisa estar totalmente alinhado com a sua identidade corporativa.


Além disso, é crucial conhecer a fundo o seu público-alvo para analisar se uma personificação poderia ajudá-lo a compreender os valores da empresa, a ponto de potencializar o seu engajamento.


Por exemplo, se a sua empresa vende uma solução muito complexa, porém necessária para a persona, talvez um personagem poderia servir como um “agente facilitador”, explicando os produtos ou serviços de uma forma mais simples e com uma linguagem digital mais próxima do cotidiano dos consumidores.


No entanto, se, após a análise, você identificar que o seu potencial cliente já se sentiria acolhido com outras estratégias do marketing digital, então o investimento em um mascote pode não ser tão necessário.


Quais cuidados devo ter na hora de criar um mascote?

Caso você tenha chegado à conclusão de que um personagem é a melhor escolha para o seu negócio, e que você não está apenas querendo embarcar na moda com outras empresas, então já podemos ir para a parte prática de criação!


Assim como qualquer outra estratégia de marketing, devemos tomar certos cuidados para que a ação seja bem-sucedida. Confira os principais critérios que você deve ter em mente antes mesmo de planejar o visual do mascote:


-O personagem deve ter algo relacionado com a marca — seja as cores da logomarca, acessórios que lembrem os principais produtos da empresa etc;

-Durante a etapa de planejamento, é importante ter em mente a imagem que o personagem deve passar para o público — isso vai influenciar a escolha dos seus hábitos, postura e personalidade;

-A personificação do dono da empresa pode te trazer muito sucesso - o mascote deve representar a marca como um todo, a confiança que o dono gerou nas pessoas, e mostrar que não é só um mascote, ele realmente existe e não apenas de forma figurada;

-É recomendado o investimento em uma personalidade carismática e divertida - a grande maioria dos clientes se identificam com pessoas carismáticas e descontraídas.

Quais os exemplos de sucesso do mercado?

Agora que você já sabe quais cuidados devem ser tomados para criar o porta-voz da sua marca de maneira bem-sucedida, vamos conferir alguns mascotes de sucesso de empresas que conseguiram conquistar o público com personagens carismáticos e interativos.

- Ronald McDonald

-Tony, The Tiger

-Chester Cheetah




0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo